domingo, maio 17, 2009

Música Suave e Idealismo

Antony Hagerty deslumbrou todos os que ontem à noite se deslocaram ao Theatro Circo em Braga. A sua música centrada no piano e acompanhada por dois violinos, violoncelo, baixo e guitarra eléctrica ou clarinete (alternadamente) seduz todos os ouvidos por onde passa e a sua suavidade contrasta, por vezes de forma chocante, com as letras controversas dos temas interpretados. A inquietude em Another World, o masoquismo e a violência doméstica em Cripple and the Starfish, ou a ambiguidade de género em For Today I Am a Boy e I Fell in Love with a Dead Boy demonstram que Antony não hesita nas palavras necessárias para veicular uma mensagem, mas o concerto torna também evidente que a música não tem que ser transtornada ou violenta para transmitir a essa mesma mensagem.

Os pontos altos do concerto foram, a meu ver, Kiss My Name, pela execução luxuosa das cordas, The Crying Light, pela simplicidade da voz e piano e Shake That Devil pela improvisão que se lhe seguiu. A minha maior surpresa foi a excelente interpretação de Hope Mountain, acompanhada pela explicação impressionista do próprio Antony sobre como o suave teclar do piano significaria a segunda vinda de Cristo, reincarnado como mulher, caminhando sobre as águas num rio do Afeganistão.

Alinhamento:

1. Where Is My Power?
2. Her Eyes Are Underneath the Ground
3. Epilepsy Is Dancing
4. One Dove
5. For Today I Am a Boy
6. Kiss My Name
7. Everglade
8. Another World
9. Shake That Devil
10. The Crying Light
11. I Fell in Love With a Dead Boy
12. Fistful of Love
13. You Are My Sister
14. Hope Mountain
15. Twilight
16. Aeon
----
17. Cripple and the Starfish
18. Hope There's Someone

Etiquetas: ,

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Acertou no alinhamento de Kiss my name.Em 6º lugar e o ponto alto do concerto.É pena que não possamos ouvir agora a musica seleccionada. De qualquer modo sinto-o demasiado assertivo e algo contido na partilha de emoções. Não dúvido que tenha ficado fascinado pelo idealismo da música e pela possibilidade de prolongar essa suavidade nos dias que se seguem...A dureza da vida reinterpretada pela música e pelas palavras e a possibilidade de idealizarmos um paraíso com vozes e sons...

10:08 da tarde  
Blogger Gala Dmitrievna said...

Foi genial :)

10:57 da tarde  
Blogger AEnima said...

Nao arranjei bilhete a tempo. Fiquei doente por nao ter ido. tss tss

3:15 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home