segunda-feira, setembro 25, 2006

Middlesex


Já alguma vez sentiram saudades de um livro? Acabei de ler Middlesex no sábado e já sinto saudades dos personagens e do enredo. Este é um trabalho notável, não só pelo tema insólito que retrata, mas sobretudo pelo relato da longa sequência de eventos que conduz à revelação de um terrível segredo familiar. Com esta obra, Eugenides venceu merecidamente o prémio Pulitzer de 2003 para melhor obra de ficção.

Apesar da sua dimensão (530 páginas), ou se calhar por causa dela, a obra de Jeffrey Eugenides é de “ler e chorar por mais”. Eugenides escreveu apenas dois livros, ganhando reputação de forma instantânea com o seu As Virgens Suicidas, mais tarde adaptado ao cinema por Sofia Coppola. Middlesex é um livro que também implora ser transformado em filme, mas talvez pelo pai de Sofia, já que relata a saga de uma família de imigrantes gregos na América.

O que torna Middlesex uma peça literária única é o seu tema. A personagem principal, Calliope, nasce e é criada até aos 14 anos como rapariga; apenas com a chegada da puberdade se descobre a incrível verdade: Calliope é hermafrodita; exteriormente (quase) aparenta ser mulher, mas interiormente é homem, possuindo testículos que nunca chegaram a descer e, também por essa razão, não permitiram uma identificação atempada do sexo da criança.

O tom do enredo oscila entre uma comédia e uma tragédia grega, com momentos de soap opera americana. Uma delícia!

Etiquetas:

4 Comments:

Blogger ∫nês said...

Eu não disse?
A cena final, do acidente, está fantástica... entre outras, claro!

10:52 da tarde  
Blogger Ana Abreu said...

Já me aconteceu isso, ter saudades de um livro. É algo esquesito, eu não consigo descrever... é msm saudades do livro, do enredo, como se as personagens fizessem parte do nosso puzzle...
Fiquei vontade de ler este livro.

Bjs

7:40 da tarde  
Anonymous Rodrigo Coelho said...

Sempre sinto saudade de alguns personagens de livros. A última vez que isso aconteceu foi com "Norwegian Wood", do Murakami.
Mas, recentemente, quis me livrar dos personagens de "O caçador de pipas". Não é lá tão sofisticado, é popular demais, mas me tocou profundamente. Personagens sofridos não fazem a gente sentir saudades.

5:39 da manhã  
Anonymous janeca said...

Existe tradução em português?
Gostava de ler.

12:44 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home